sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Feliz equinócio!

"Teu xodó
É que nem noda de caju
Desde que abracei tu
Nunca mais quis me largar
"

Setembro traz mudanças que nós, tão entretidos com nossas vidinhas urbanas, não percebemos, ou não paramos para refletir a quê se devem. Mas, indiferentes à nossa ignorância, a Terra continua a girar e o Sol continua a arder, operando juntos milagres que se repetem a Eras, todos os dias, todos os anos. Milagres que embasbacariam nossa vã filosofia, se ao menos pudéssemos vê-los, soubéssemos contemplá-los. E mesmo assim, eles continuam (e continuarão) a acontecer.
Com Setembro vem a Primavera, e os ventos começam a cansar de usar toda a sua força, diminuindo o ritmo e recuperando o fôlego, para poder voltar a correr tresloucados em Junho. Aqui no Ceará, a Dama Primavera não traz uma cesta cheia de flores perfumadas, e sim cheia de algo muito mais, digamos, apetitoso... Nham, nham!
Os jambeiros abrem mão de seu tapete róseo, feito de suas próprias pétalas, para exibir orgulhosos galhos carregados e um chão cheio de manchas roxas. E nada tem mais gosto de infância do que se trepar num jambeiro, ou jogar o chinelo entre as folhas, na esperança de se deliciar com um jambo, docinho e fresquinho. E pra quem não enjoa fácil, pode se fartar com os sapotis, ou com seus sucos e vitaminas. (Ai, deu fome!)
Mas nada deixa a Dama Primavera tão realizada quanto encher o ar com um cheiro doce, forte, que lembra logo a sensação de perfurar com os dentes um pele fininha, sedosa, enfiar a língua numa carne macia e úmida que inunda a boca com um sumo divino. Lembra também sucos e doces, feitos em casa, deliciosos, além de castanhas, torradinhas e crocantes, de dar água na boca. Huuuuum...
É o momento auge de um dos maiores trunfos do Ceará, hora de mostrar toda sua vida e potencial. Momento que ele aprendeu, em milhões de anos, a sincronizar com a vinda da ZCIT lá do Norte, trazendo umidade, pouquinha, sim, mas o bastante para garantir a sobrevivência de seus filhos. Tanto é que o sertanejo fica todo contente quando vê Setembro trazendo a Chuva do Caju!