quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Vitória épica

A despeito de todas as expectativas, hoje passei no exame de moto. A certeza da derrota, advinda da consciência de que até a ultima aula não aprendi o controle sobre o acelerador, foi sobrepujada por vários fatores.
Primeiro, a Mãe Natureza ajudou muito com muita chuva e nuvens densas, impedindo que o sol e calor atrapalhassem.
Quando sentia o coração rápido demais e a respiração descompassada, respirei profundamente (conselho indispensável, dado por alguém muito importante). Uma boa meditação também teve seu papel, ajudando a por ordem nos pensamentos caóticos. Pouco antes do exame, o alongamento relaxou os músculos. A primeira examinada, nervosa, caiu (CAIU MESMO) na rampa, e eu vi ali a imagem da minha tragédia.
Então fui chamado. Os pensamentos estavam em ordem, não esqueci de nada. O problema seriam os músculos, eu sabia que eles não me obedeceriam. Estava concentrado, nervoso, controlado, mas muito nervoso.
Mas é incrivel o controle que a adrenalina lhe dá sobre seus músculos. A cada obstáculo, eu sabia que podia errar ali, mas respirava fundo e concentrava minha mente, e meu corpo fez tudo que precisava.
E saí dali sem o peso de um mundo em minhas costas.